Dos preceitos/mandamentos da Igreja em geral - CATECISMO DE SÃO PIO X

§ 1o - Dos preceitos da Igreja em geral


1) Além dos Mandamentos da Lei de Deus, que mais coisas somos nós obrigados a observar?
R: Além dos Mandamentos da Lei de Deus, somos obrigados a observar os mandamentos ou preceitos da Igreja.

2) Somos obrigados a obedecer à Igreja?
R: Sem dúvida, somos obrigados a obedecer à Igreja, porque o próprio Jesus Cristo no-lo ordena, e porque os preceitos da Igreja facilitam a observância dos Mandamentos de Deus.

3) Quando começa a obrigação de observar os preceitos da Igreja?
R: A obrigação de observar os preceitos da Igreja começa geralmente com o uso da razão.

4) É pecado transgredir um preceito da Igreja?
R: Transgredir com advertência um preceito da Igreja em matéria grave é pecado grave.

5) Quem pode dispensar de um preceito da Igreja?
R: De um preceito da Igreja só pode dispensar o Papa ou quem dele receber as competentes faculdades.
6) Quantos e quais são os preceitos da Igreja?
R: Os preceitos da Igreja são cinco:
1º Ouvir Missa inteira nos domingos e festas de guarda.
2º Confessar-se ao menos uma vez cada ano.
3º Comungar ao menos pela Páscoa da Ressurreição.
4º Jejuar e abster-se de carne quando manda a Santa Madre Igreja.
5º Pagar dízimos segando o costume.



§ 2º - Do primeiro preceito da Igreja

7) Que nos manda o primeiro preceito ou manda mento da Igreja: ouvir Missa inteira nos domingos e festas de guarda?
R: O primeiro preceito da Igreja: ouvir Missa inteira nos domingos e festas de guarda, manda-nos assistir com devoção à Santa Missa nos domingos e nas outras festas de preceito.

8) Qual é a Missa à qual a Igreja deseja que se assista nos domingos e nas outras festas de preceito?
R: A Missa à qual a Igreja deseja que, sendo possível, se assista nos domingos e nas outras festas de guarda, é a Missa paroquial.

9) Por que recomenda a Igreja aos fiéis que assistam à Missa paroquial?
R: A Igreja recomenda aos fiéis que assistam à Missa paroquial:
1º A fim de que aqueles que pertencem à mesma paróquia se unam a orar, juntamente com o pároco, que é seu chefe espiritual;

2º A fim de que os paroquianos participem mais do Santo Sacrifício, que é aplicado principalmente por eles;

3º A fim de que ouçam as verdades do Evangelho que os párocos têm obrigação de expor à Santa Missa;

4º A fim de que conheçam as prescrições e avisos que se dão à estação da referida Missa.

10) Que quer dizer domingo?
R: Domingo quer dizer dia do Senhor, isto é, dia especialmente consagrado ao serviço
de Deus.

11) Por que no primeiro mandamento da Igreja se faz menção especial do domingo?
R: No primeiro mandamento da Igreja faz-se menção especial do domingo, porque é ele o principal dia de festa entre os cristãos, como entre os judeus o principal dia de festa era o sábado, por instituição do próprio Deus.

12) Que outras festas instituiu a Igreja?
R: A Igreja instituiu também as festas de Nosso Senhor, da Santíssima Virgem, dos Anjos e dos Santos.

13) Por que instituiu a Igreja outras festas de Nosso Senhor?
R: A Igreja instituiu outras festas de Nosso Senhor memória dos seus divinos mistérios.

14) Por que foram instituídas as festas da Santíssima Virgem, dos Anjos e dos Santos?
R:As festas da Santíssima Virgem, dos Anjos e dos Santos foram instituídas:
1º Em memória das graças que Deus lhes fez e para as agradecer à bondade divina;
2º A fim de que os honremos, imitemos os seus exemplos e alcancemos o auxílio de suas orações.


§ 3º - Do segundo preceito da Igreja

15) Que nos manda a Igreja com as palavras do segundo preceito: confessar-se ao menos uma vez cada ano?
R: Com as palavras do segundo preceito: confessar-se ao menos uma vez cada ano, a Igreja obriga todos os cristãos que chegaram ao uso da razão, a receber, uma vez ao me-
nos em cada ano, o Sacramento da Penitência.

16) Qual é o tempo mais próprio para cumprir o preceito da confissão anual?
O tempo mais próprio para cumprir o preceito da confissão anual é a Quaresma, segundo o uso introduzido e aprovado ein toda a Igreja.

17) Por que diz a Igreja que nos confessemos ao menos uma vez cada ano?
R: A Igreja diz ao menos, para dar a conhecer o seu desejo de que nos aproximemos deste Sacramento com mais freqüência.

18) É pois útil confessar-nos com freqüência?
R: É muito útil confessar-nos com freqüência, sobretudo porque é difícil que se con-
fesse bem e se conserve isento de pecado mortal, quem se confessa raras vezes.

19) Satisfaz-se a este segundo preceito com uma confissão sacrílega?
R: Quem fizer uma confissão sacrílega, não satisfaz ao segundo preceito da Igreja, porque a intenção da Igreja é que se receba este Sacramento para nossa santificação.


§ 4º- Do terceiro preceito da Igreja

20) Que nos manda a Igreja com as palavras do terceiro preceito: comungar ao menos pela Páscoa da Ressurreição?
R: Com as palavras do terceiro preceito: comungar ao menos pela Páscoa da Ressurreição, a Igreja obriga todos os cristãos que chegarem à idade da discrição a receber todos os anos a Santíssima Eucaristia, durante o tempo pascal; e é bom que seja na própria paróquia.


21) Qual o tempo útil para satisfazer, no Brasil, o preceito da Comunhão Pascal?
R: No Brasil, o tempo útil para satisfazer o preceito da Comunhão Pascal vai do dia 2 de fevereiro, festa da Purificação de Nossa Senhora e da Apresentação do Menino Jesus no Templo, até o dia 16 de julho, comemoração de Nossa Senhora do Carmo.

22) Somos obrigados a comungar em alguma outra ocasião, fora do tempo pascal?
R: Sim, somos obrigados também a comungar em perigo de morte.

23) Por que se diz que devemos comungar ao menos pela Páscoa?
R: Porque a Igreja deseja vivamente que não somente na Páscoa, mas com muita freqüência, nos aproximemos da Sagrada Comunhão, que é o alimento divino das nossas almas.

24) Satisfaz-se a este preceito com uma Comunhão sacrílega?
R: Quem fizer uma Comunhão sacrílega não satisfaz ao terceiro preceito da Igreja; porque a intenção da Igreja é que se receba este Sacramento para o fim para que foi instituído, isto é, para nossa santificação.


§ 5º- Do quarto preceito da Igreja

25) Que nos manda o quarto preceito da Igreja com as palavras jejuar e abster-se de carne quando manda a Santa Madre Igreja?
R: O quarto preceito da Igreja: jejuar e abster-se de carne quando manda a Santa Madre Igreja, manda-nos que jejuemos e nos abstenhamos de carne na Quarta-Feira de Cinzas e na Sexta-Feira Santa; e que nos abstenhamos de carne em todas as sextas-feiras do ano. Esta abstinência pode ser comutada por outra obra pia, a juízo do Bispo Diocesano.

26) Em que consiste o jejum?
R: O jejum consiste em tomar uma só refeição, durante o dia, e em não comer coisas
proibidas.

27) Nos dias de jejum, além da única refeição, é proibido tomar qualquer outro alimento?
R: Nos dias de jejum, a Igreja permite uma pequena parva pela manhã, e uma ligeira refeição à noite, ou, então, cerca do meio-dia, quando se deixa para a tarde a refeição
maior.

28) Para que serve o jejum?
R: O jejum serve para nos dispor melhor para a oração, para fazer penitência dos pecados cometidos, e para nos preservar de cometer outros novos.

29) Quem é obrigado a jejuar?
R: São obrigados a jejuar todos os cristãos, desde os vinte e um anos completos até aos sessenta começados, se não estão dispensados ou escusados por legitimo impedimento. A abstinência começa a obrigar aos catorze anos.

30) Estão também dispensados de toda a mortificação os que não estão obrigados a jejuar?
R: Os que não estão obrigados a jejuar, nem por isso estão dispensados de toda a mor-
tificação, porque todos temos obrigação de fazer penitência.

31) Para que fim foi instituída a Quaresma?
R: A Quaresma foi instituída a fim de imitarmos, de algum modo, o rigoroso jejum de quarenta dias que Jesus Cristo observou no deserto, e a fim de nos prepararmos, por meio da penitência, para celebrar santamente a festa da Páscoa.

32) Qual o fim do jejum do Advento?
R: O jejum do Advento foi instituído para nos dispor a celebrar santamente a festa do Natal.

33) Para que foi instituído o jejum das Quatro Têmporas?
R: O jejum das Quatro Têmporas foi instituído para consagrar cada uma das quatro estações do ano com a penitência de alguns dias; para pedir a Deus a conservação dos frutos da terra; para Lhe dar graças pelos frutos já concedidos, e para Lhe pedir que dê à sua Igreja santos ministros, que são ordenados nos sábados das Quatro Têmporas.

34) Para que foi instituído o jejum das vigílias?
R: O jejum das vigílias foi instituído a fim de nos prepararmos para celebrar santa-
mente as festas principais.

35) Que nos proíbe a Santa Igreja nos dias de jejum e abstinência?
R: Quando a pessoa não está legitimamente dispensada, deve no dia de jejum e abstinência tornar uma só refeição plena, podendo fazer duas outras pequenas, uma pela manhã e outra à tarde, que evite grave dano, como, por exemplo, uma forte dor de cabeça. Nos dias de abstinência, proíbe o uso da carne e do caldo de carne.

36) Por que a Igreja quer que nos abstenhamos de comer carne a sexta-feira?
R: A fim de que façamos penitência todas as semanas, e sobretudo à sexta-feira, em honra da Paixão de Jesus Cristo.


§ 6º- Do quinto preceito da Igreja

37) Como se observa o quinto preceito da Igreja: pagar dízimos segundo o costume?
R: Observa-se o quinto preceito: pagar dízimos segundo o costume, pagando aquelas ofertas ou contribuições, que foram estabelecidas, para reconhecer o supremo domínio que Deus tem sobre todas as coisas, e para sustentar os ministros do altar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[...] não deixes por isso de abraçar estreitamente sua santa cruz. - São Padre Pio de Pietrelcina.

Perguntas 12ª Artigo do CREDO | Creio na Vida Eterna, amém. | Catecismo de São Pio X

Conhecer, Amar e Servir a Deus!

Perguntas 8° Artigo do CREDO | Catecismo de São Pio X

Teologia do Corpo - Christopher West - Parte 1