Franciscos!

Fazei-me instrumento de vossa paz!

Por coincidência ou não, ambos os Franciscos da Igreja Católica depararam-se com o problema dos muçulmanos. Um deles largou o que estava fazendo para ir confrontar os muçulmanos em suas terras e arriscou a vida pela sua crença, o outro se quer se pronuncia quando falamos dos massacres de cristãos cometidos por algozes do Jihad.

Aquele Francisco, o que veio de Assis, diante do Muçulmanos, se ofereceu para uma prova de fogo, dizendo vamos entrar no fogo: "Eu e teus sacerdotes (...)" Pouco se importando com o resultado, a confiança em Deus era maior.
Nosso outro Francisco, clama que utilizemos as 'armas do amor', sabe-se lá com que objetivo...


Às vezes, tenho a nítida impressão de que o que antes era coragem cristã deu lugar a uma espécie de sentimento frouxo, de uma alegria boba, como se nossa fé se resumisse a cantar musiquinhas e fazer dancinhas de roda. Esse movimento tem outro nome chama-se "movimento Hippie" e nem de longe pode ser considerado Catolicismo.

A invocação do amor que vemos hoje, o amor a todo o custo, deixou a muito tempo de ser amor, tornou-se um espírito de covardia ao extremo, que faz com que a maioria de nós sequer tenha coragem de dizer a verdade ao próximo (a quem amamos) para não magoá-lo, preferirmos mentir para ele, para nós mesmo, para o mundo. Mas, nos encondemos atrás da palavra amor para fugir da verdade!

Um Francisco contrariou o mundo, em tudo, inclusive em seu amor por Cristo. O outro Francisco deseja conciliar-se com o mundo, a ponto de esquecer-se do verdadeiro amor ao Cristo.

Depois de certo tempo, percebemos que a escolha de tal nome (Francisco) não foi para fazer-lhe jus àquele que com tanta coragem defendeu a verdadeira fé, mas sim, para lhe fazer contrariedade.Um tinha amor pela pobreza em todos os aspectos mas elevou sua alma a Deus (na busca pelos tesouros do céu), o outro diz que ama os pobres, mas não os convida para a verdadeira conversão, para o conhecimento verdadeiro de Deus, apenas se contenta em fazer umas brincadeiras, jogar palavras mágicas para o deleite da imprensa e deixar que os pobres lhe lambam as mãos de vez em quando.

No site www.fatima.org encontra-se um otimo artigo escrito com observações muito contundentes a respeito de São Francisco de Assis. Abaixo posto o link: http://www.fatima.org/port/crusader/cr105/cr105pg30.pdf

A todos os interessados em se aprofundar no assunto, recomendo a leitura integral do artigo.

E deixo aqui um pequeno trecho de uma homilia do proprio São Francisco: “Todos aqueles que viram Jesus na Sua carne mas não O viram segundo o Espírito e na Sua Divindade, e que não acreditaram que Ele era realmente o Filho de Deus, são condenados. Também são condenados aqueles que vêem o Santíssimo Sacramento do Corpo de Cristo, que é consagrado sobre o altar com as próprias palavras do Senhor e pelas mãos do sacerdote sob as espécies do pão e do vinho, mas não vêem nelas o Espírito e a Divindade, nem acreditaram que é, na realidade, o Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.”1
Extraido do artigo: S. FRANCISCO DE ASSIS ESTAVA TOTALMENTE EMPENHADO NA CONVERSÃO DAS ALMAS


1 - Admonitio prima de Corpore Cristi (edição Quaracchi, p. 4), citado em Johannes Jorgensen, St. Francis of Assisi (New York: Longmans, Green and Co., 1912), p. 55.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[...] não deixes por isso de abraçar estreitamente sua santa cruz. - São Padre Pio de Pietrelcina.

Perguntas 12ª Artigo do CREDO | Creio na Vida Eterna, amém. | Catecismo de São Pio X

A Busca da Verdade

Conhecer, Amar e Servir a Deus!

Perguntas 8° Artigo do CREDO | Catecismo de São Pio X