domingo, 26 de julho de 2015

Missa Tridentina e Tradição Católica: JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

Missa Tridentina e Tradição Católica: JURAMENTO ANTI-MODERNISTA:         Juramento anti-modernista elaborado por São Pio X A ser proferido por todos os membros do clero, pastores, confessores, pr...

quarta-feira, 22 de julho de 2015

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Sétima Parte

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Sétima Parte: De volta à Igreja, Padre Manfred alertou ao garoto que havia muitas tarefas a fazer e que deveria dedicar algum tempo para resolver. - O...

Ele está no meio de nós - Sétima Parte


De volta à Igreja, Padre Manfred alertou ao garoto que havia muitas tarefas a fazer e que deveria dedicar algum tempo para resolver.

- O que o senhor precisa fazer? - questionou o garoto em tom amigável.

- Preciso atender a confissões e depois disso vou rezar a missa. - Informou ao garoto.

- Que negócio mais confuso, o que são todas essas coisas? - O garoto continuou com suas perguntas.

- A confissão, menino, é um momento em que a pessoa vem confessar a Deus suas faltas e, de acordo com o arrependimento, Deus concede que os pecados sejam perdoados. Explicou o Padre. A missa é a contemplação do sacrifício de Cristo.

- Padre, não entendi nada. - falou o menino sem qualquer paciência. Para ele eram questões muito complexas e com termos que ele desconhecia e ele estava se perdendo na conclusão.

- Miguel, deixe-me pensar um pouco como posso explicar e mais tarde vou dar a você outra explicação. Agora não vou conseguir pensar em nada. - O Padre estava agora se preparando para pegar sua estola de confissão, se preparou para atender as confissões. Pediu ao garoto para se sentar na frente da Igreja e tentar brincar com alguma coisa.
Quando ele entrou no confessionário, duas pessoas o aguardavam para o atendimento. 

O Garoto Miguel não tirou os olhos deles nem por um minuto e, dentro do confessionário, o Padre ouvia do escuro cada uma das palavras do confessante. Trinta minutos mais tarde o Padre deixou o primeiro confessante, a mulher saiu do confessionário para se ajoelhar no genuflexório e fazer suas orações e penitencia. 

A próxima pessoa entrou no confessionário, enquanto falava, o Padre de dentro ouvia silenciosamente, as vezes exortava. Esta, demorou um pouco mais de tempo, e quando terminou já estava praticamente no horário da missa. 
O mesmo processo pode ser observado pelo menino Miguel, pois esta segunda senhora também se ajoelhou e rezou. 

O Padre se preparou para rezar a missa e Miguel permanecia imóvel em seu lugar. As mulheres agora estavam sentadas para participar da Santa Missa, Miguel imitava os gestos das demais pessoas ali.

Os olhos de Miguel brilhavam ao olhar para o Padre durante a celebração, e o momento da consagração do Corpo de Cristo para ele tinha sido um momento único. 

Após o final da Santa Missa, o Padre conversou com algumas pessoas na missa. Aproximadamente 20 pessoas participaram daquela missa, a maioria de mulheres. Quando todos se foram, o Padre sentou-se ao lado de Miguel demonstrando um pouco de cansaço. Ele iniciou a conversa com Miguel desta vez dizendo:
- Você acabou de ver duas pessoas se confessando e participou de uma Santa Missa, o que você achou? - perguntou o Padre meio provocativo. 

- Acho que entendi o que o Senhor faz. - Disse ele, sem tirar os olhos do chão. 
- Ah sim! E o que foi que você entendeu? - continuou o Padre.
- A confissão é como se a pessoa tomasse um banho, mas na alma. As duas mulheres chegaram aqui com a alma preta como carvão, e quando saíram e se ajoelharam estavam brancas como nuvens no céu.
- E segundo você o que é a missa? - Perguntou curioso o Padre.
- Você se veste de Jesus, traz os anjos para a Terra e senta com todos eles na mesa, e com outros homens que não sei quem são e oferece pedaços de você mesmo para todas as pessoas que estão brancas como a neve. Igual as duas mulheres. Depois que elas recebem os pedaços de você mesmo, elas ficam mais luminosas que os próprios anjos e são capazes de iluminar a escuridão de toda a terra.
O Padre ficou desta vez boquiaberto com as explicações do garoto, simplesmente não era possível que ele entendesse daquela forma. Ele tentou argumentar mas não era possivel. 

- Padre? - chamou Miguel.
- Sim. - Ele respondeu meio curioso. 
- O Senhor estava  muito bonito durante a Missa. - Depois do comentário o menino sorriu.





LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...