Um natal sem Jesus

Portanto, ter um Natal sem a presença de Jesus Cristo é o mesmo que ter uma festa de aniversário sem o aniversariante, ou ir a um casamento sem os noivos, e ainda, ir a um velório sem a presença do defunto.

Nossa sociedade secular, se é que existe tal coisa, pois ao dizer na forma simples sociedade, já nos remetemos ao pensamento de um grupo de pessoas mundanas. Todavia, acredito que é necessário expressar aqui que a secularização das pessoas, ou a pressão sobre elas para aderir as coisas do mundo, sem qualquer reconhecimento a coisas do céu e para as coisas de Deus, deixa claro o tipo de enrascada que nosso mundo tem se metido. 
Nossa sociedade secular, tem por absurdo plagiar as coisas de Deus, apropriando-se delas criminosamente, e na sequencia secularizando, profanando, deturpando seu valor original, esvaziando seu sentido e por fim, destruindo o principio sagrado em todas as coisas. Isto é extremamente perigoso.

Assim, aconteceu com o Natal. Por um esforço brutal, a Igreja Católica tem lutado para manter o principio original do Natal. Contemplando sempre a origem da celebração, o Nascimento do menino Jesus. Aquele que foi concebido pela Virgem Maria pelo poder do Espirito Santo de Deus.

Pela adesão do Calendário Gregoriano pela sociedade secular, e por um processo de legalização civil em cada país, o Natal, em muitos países de origem cultural cristãs, por meio da influencia direta da Igreja, aceitaram que o Natal fosse considerando alem de uma festa religiosa, um feriado dentro do calendário secular ou civil.

Pois bem, ocorre que se tornando um feriado Nacional, ou um dia em que as pessoas, em geral podem ficar em casa, as escolas estão fechadas, as empresas não funcionam ou funcionam parcialmente etc, as pessoas tem mais tempo celebrar e refletir sobre a festa do Natal e para cultivar em si o Espirito do Natal.

Todavia, por meio de uma distorção ideológica, o que deveria ser considerado o Espirito do Natal, acaba sendo associado com o certo Espirito de frouxismo, de molenguice, de moleza, de tolerância, de aceitação extremada de tudo quando é situação sem questionar, isso é que é atribuído hoje em dia o Espirito do Natal. Então as pessoas organizam festas de natal em boates, sítios, chácaras, casas, restaurantes, bares, shoppings etc. Em tudo o que é canto, as pessoas cultivam o raio do Espirito Natalino. Algumas pessoas cismam realmente que o Natal deve ser passado em família, um erro medonho.

Faz-se aquelas mensagem bizarras de Natal, desejando que o "verdadeiro espirito do Natal" esteja em seu coração. Celebram o Natal, caindo de bebados, em festas regadas a cachaça, caipirinhas, cervejas e comida a vontade. Tudo em busca do "Espirito Natalino". Dai vem aquele seu parente chato, cheio de cachaça e fica perturbando todo mundo, e em nome do "Verdadeiro Espirito Natalino, deve-se ter tolerância com aquela alma.

Infelizmente, nada disso tem a ver com o verdadeiro espirito natalino Cristão, visto que o Cristo que nasceu não era frouxo, molenga, nem tolerava tudo que era coisa, tampouco se dava a aceitar a profanação de coisas sagradas as quais para o próprio Cristo eram revestidas de um significado Santo e não para serem misturadas com tudo e qualquer porcariada que alguém julgue necessário.

Em 90% dos casos, em que se celebra o Natal nas casas, não se reza um terço, não se faz uma oração, sequer se lembram da data importante que é o dia 25 de Dezembro, data em que se lembra o nascimento de Jesus Cristo. Tampouco convidam a Ele para celebrar junto. Tampouco se entronizam dentro dos lares a lembrança do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, o presépio. Portanto, ter um Natal sem a presença de Jesus Cristo é o mesmo que ter uma festa de aniversário sem o aniversariante, ou ir a um casamento sem os noivos, e ainda, ir a um velório sem a presença do defunto. O significado da celebração tornou-se totalmente tolo, vão, vazio, esvaziado de si.

Na verdade, com a adesão do calendário civil a celebração do Natal, a festa revestiu-se de um contexto muito mais comercial e profano (bebedeiras, comilanças, festas ilimitadas etc). 

Que nos anos que se seguirão, Deus nos conceda a Graça de ter um Natal mais próximo de seus sentido único, a lembrança do Nascimento do Menino Jesus e a vinda d'Aquele que nos salvou.





Comentários

  1. CONCORDO PLENAMENTE COM TUDO!!!!! Faço da sua indignação a minha também, pois essa felicidade momentânea da mesma velocidade que começa ela acaba, o diabo e astuto pois ´para eles as dores e lamentações que geram no outro dia são normais e como já vemos tudo pelo espírito santo só nos resta orar por nos e pela nossa familia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo Seu comentário. Deus o abençoe!

Postagens mais visitadas deste blog

[...] não deixes por isso de abraçar estreitamente sua santa cruz. - São Padre Pio de Pietrelcina.

CATECISMO DE SÃO PIO X | Dos Mandamentos que se referem ao próximo - Do décimo Mandamento da Lei de Deus

Perguntas 12ª Artigo do CREDO | Creio na Vida Eterna, amém. | Catecismo de São Pio X

CATECISMO DE SÃO PIO X | Dos Mandamentos que se referem ao próximo - Do oitavo Mandamento da Lei de Deus

CATECISMO DE SÃO PIO X | Dos Mandamentos que se referem ao próximo - Do sétimo Mandamento da Lei de Deus