Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2015

CHRISMA SÃO VICENTE: Combustíveis para nossa Fé

CHRISMA SÃO VICENTE: Combustíveis para nossa Fé: O Espírito e a Esposa dizem: “Vem!”. Possa aquele que ouve dizer também; “Vem!”. Aquele que tem sede, venha! E que o homem de boa vontade r...

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Nona Parte

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Nona Parte: No dia seguinte, bem cedo, Padre Manfred acordou-se bem cedo, as cinco horas da manhã. Fez seu ritual de orações pela manha. De joelhos e...

Ele está no meio de nós - Nona Parte

No dia seguinte, bem cedo, Padre Manfred acordou-se bem cedo, as cinco horas da manhã. Fez seu ritual de orações pela manha. De joelhos em seu quarto, passou praticamente uma hora em oração. O Padre se sentia ansioso ultimamente, demasiadamente preocupado. O silêncio da Igreja e da manha que ainda se iluminava não lhe traziam a paz mas algum sentimento interior de inquietação, mas ficou em oração, com o rosário nas mãos.
Do outro lado, o menino acordou e viu um clarão iluminando o quarto, era uma luz muito intensa, ele olhava por em meio a penumbra, mas a luz era muito forte que não permitia que ele abrisse os olhos completamente e enxergasse.  Ele se levantou cambaleando, coçando os olhos, esfregando a cabeça, e ele sentia que a luz o atraia. Em pouco tempo, ele começou a perceber bem a presença de outros seres que ele imaginava ser pessoas. Tudo o que ele podia ver era uma multidão de seres iluminados que se reunião em louvor e adoração, no centro de todas essas pessoas ou seres estav…

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Oitava Parte

CHRISMA SÃO VICENTE: Ele está no meio de nós - Oitava Parte: Preocupado com a forma como as coisas haviam acontecido, Padre Manfred decidiu que deveria contar a alguém tudo o que estava acontecendo. S...

Ele está no meio de nós - Oitava Parte

Preocupado com a forma como as coisas haviam acontecido, Padre Manfred decidiu que deveria contar a alguém tudo o que estava acontecendo. Se preocupava com o fato de o garoto não poder ir para a casa, se preocupava com o que podia falar a seu respeito e sobretudo se preocupava pois não conseguia compreender exatamente o que acontecia com o garoto. As palavras que ele pronunciava demonstravam grande maturidade apesar de ter tão pouca idade.
Absolvido por estes pensamentos, o Sacerdote se assustou quando o velho telefone começou a tocar na pequena cozinha acoplada a Igreja. Assustado, ele correu para atender.  Ele tentou se acalmar, respondeu da maneira mais calma que pôde para não demonstrar seu nervosismo.  Era a polícia. Padre Manfred recordou-se que havia pedido alguns favores para tentar encontrar a familia do garoto, mas a voz no telefone lhe dizia que o garoto não era conhecido na região. Nem em um raio de 200 km, que foi o resultado da pesquisa em toda a região.
- Como é possivel qu…