Como retribuir o amor de Deus


O tempo da renovação é chegado, o tempo da esperança se inicia agora, se inicia hoje, busquemos a Deus inquietamente, incomodamente, com o mesmo desejo e fogo no coração que o salmista “Ó Deus, vós sois o meu Deus, com ardor vos procuro, minha alma está sedenta de vós, e minha carne por vós anseia.”

Não quero limitar este tempo a um simples dizer de como o marido deve tratar a mulher, como a mulher deve tratar os filhos, como os filhos devem tratar os pais. Hoje, para mim parece simplório resumir e diminuir o relacionamento familiar a simples má convivência entre pais, mãe, filhos e cachorros. Embora me chateie muito ver que existem pessoas que tratam seus cachorros como filhos e seus filhos como cachorros, deveríamos nos envergonhar de viver numa sociedade como esta.

Muito mais deveríamos nos envergonhar cada vez que alguém pronuncia que um animal é melhor do que os seres humanos, com este dizer, estamos acabando com a criação de Deus, estamos assumindo o papel de Deus e estamos invertendo nosso papel na criação.

A primeira dimensão, portanto, que queria colocar aqui é da Pessoa-Humana como o centro da criação de Deus. É nítido que nosso Deus nos deu um lugar especial em sua criação, nos colocou no centro do Seu amor, inseriu-nos no seio de Seu amor eterno, um amor ciumento, forte, que não mediu esforços.

A pergunta que deixa a todos nós tristes, é como nós, pessoas-humanas, temos retribuído esse amor?

Fomos criados pelo amor a Deus, só encontramos significado pleno para nossa vida quando nos voltamos para Ele, todavia nos perdemos em eventos e futilidades da vida moderna, com novelas e tablets, bailes funk, baladas, fofocas, bebedeiras e traições.

Deixamos de frequentar as missas com ardor e amor. Deixamos de nos confessar e de nos arrepender de nossos pecados, deixamos de frequentar os sacramentos de Deus como se eles fossem qualquer coisa.

Primeira dimensão que apresento as famílias hoje, é sua reconstrução de seu relacionamento com Deus. Voltar a ter relacionamento com Deus, colocar imagens de Deus em suas casas, em seus quatros, cruzes e crucifixos, mas sobretudo, colocar Deus dentro dos nossos corações, de forma que ali Ele entre e não nos deixe nunca mais.

O segundo livro de Macabeus em seu capitulo 7, traz um exemplo de família que nos da alguma noção do que é o amor que Deus espera. E a oração da mãe nos da dimensão da sacralidade da nossa fé: “Meu filho, compadece-te de tua mãe, que te trouxe nove meses no seio, que te amamentou durante três anos, que te nutriu, te conduziu, te educou até esta idade. Eu te suplico, meu filho, contempla o céu e a terra. Reflete bem: tudo o que vês, Deus criou do nada, assim como a todos os homens. Não temas pois este algoz, mas sê digno de teus irmãos e aceita a morte, para que no dia da misericórdia eu te encontre no meio deles.”(2 Macabeus, 7, 27-29)

Morreram os filhos, um a um, ao todo foram 7 filhos, e depois a mãe, vendo morrer todos os filhos, morreu por último.Mas nenhum deles rejeitou o seu Deus.


A pergunta que mais uma vez eu me faço é como nós, pessoas-humanas, temos retribuído esse amor?

Podemos falar aqui também da coragem que Maria teve, junto com seu esposo José, superou todas as dificuldades, estiveram juntos o quanto puderam, e ela muito forte, acompanhou seu filho Jesus, sofrendo calada, chorando, mas sem nunca deixar o plano de Deus. Desde o dia em que ela disse sim, superou todas as coisas e é por isso que a chamamos de Nossa Senhora.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[...] não deixes por isso de abraçar estreitamente sua santa cruz. - São Padre Pio de Pietrelcina.

Perguntas 12ª Artigo do CREDO | Creio na Vida Eterna, amém. | Catecismo de São Pio X

A Busca da Verdade

Conhecer, Amar e Servir a Deus!

Perguntas 8° Artigo do CREDO | Catecismo de São Pio X