sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Combustíveis para nossa Fé


O Espírito e a Esposa dizem: “Vem!”. Possa aquele que ouve dizer também; “Vem!”. Aquele que tem sede, venha! E que o homem de boa vontade receba, gratuitamente, da água da vida!

Essa semana, me apareceu um questionamento a respeito de quais seriam os combustíveis da nossa fé.
Utilizando de uma analogia que já foi muito usada, vamos comparar nossa caminhada de cristões em direção ao Céu com uma viagem de carro.
Vamos por exemplo pensar que, devemos fazer uma viagem de 1.500 km. Supondo que vamos chegar ao nordeste do Brasil.
Nós temos claramente definido que nosso ponto de partida é o marco zero de nossa caminhada, e que nossa chegada ao ponto final encerrará também nossa caminhada.

Como motorista prudente eu fiz um check-up completo no carro: Revisei pneus, óleo, step, amortecedores, motor, faróis, freios, água, pedi a concessionaria que verificasse a parte elétrica. Fiz um kit de revisão completo! A concessionaria me entregou um laudo dizendo que o carro estava "ok" para viajar. Enchi o tanque com um bom combustível.

Percebi que todos os detalhes estavam devidamente cuidados.
Comprei uns lanchinhos para deixar no carro, mudei as músicas do meu IPOD, levei também alguns livros para ler. Reservei algum dinheiro para viagem (cerca de R$ 400,00), pois sempre pode acontecer algum imprevisto. Tracei a rota com os melhores caminhos e mais seguros.
Iniciei a viagem. Estava muito empolgado, nossa! Sai com tudo. À luz do que me aguardava eu nem calculei direito os 1500 km. Só me interessava é que eu estava pronto. O sol estava brilhando no céu, era muito cedo, não tinha nuvens. Parecia o dia perfeito.
Saí de casa, com uma expectativa muito boa. Cheio de empolgação.
Depois de quase 500 km, eu estava passando perto de Resende no Rio de Janeiro, o carro apontou que o nível de combustível estava baixo e que eu precisaria abastecer.
Mas tudo certo. Abasteci em um posto na beira da estrada. Achei a gasolina um pouco cara, para falar a verdade. O preço muito acima do que eu tinha abastecido perto de casa, mas não me importei naquele momento. Paguei com cartão de crédito.
Continuei o caminho, e depois de uns 200 km de onde eu havia abastecido comecei a notar que a estrada estava totalmente esburacada, muitos carros fazendo malabarismo para passar pelos buracos. Alguns buracos eram tão grandes que certamente meu carro não conseguiria sair de lá se caísse dentro.
 Quando passei por um deles, notei um barulho diferente, um barulho alto em uma das rodas. Pensei que não devia ser nada. Fiz o melhor que pude para passar pelos buracos e continuar meu caminho, depois de um tempo comecei a ficar aflito, pois havia se tornado um esporte muito perigoso aquele, com caminhões passando na contramão e me jogando para fora da pista.
Com muito esforço passei por esses problemas.
Acho que por ficar meio atordoado dos buracos, perdi a atenção da estrada e me perdi. Fiquei meia hora tentando me encontrar, rodei, rodei. Embora estivesse com GPS (Global Position System) não conseguia me encontrar. Quanto mais perdido eu estava, mais aflito eu ficava. A irritação crescia em mim de tal maneira que me dava vontade de desistir da viagem.
Para minha surpresa, 30 km depois dos buracos, eu notei no céu, em meio às montanhas de Minas Gerais, nuvens negras horríveis anunciando que eu encontraria chuva pela frente. Para piorar, percebi que o carro começava agora a fazer um barulho muito alto no pneu que havia passado no buraco.
Procurei um lugar para parar, mas no caminho nada encontrei. Segui em frente, lentamente.
Um temporal desabou sobre a estrada. Vento, relâmpagos. Ainda era dia, mas tive que ligar os faróis. A pista me permitia a velocidade de 80 km/h, porém eu tive que andar a metade disso com medo de perder a direção e sair da pista.

Não dá para dizer agora, quantas vezes pensei em desistir da viagem e voltar para casa. Não posso dizer o quanto penso agora que não devia ter começado.

Torci para que esse temporal passasse logo, mas para minha infelicidade durou muito mais do que eu gostaria. E o barulho no pneu. Comecei a pensar que poderia ter arrebentado o amortecedor.
A essa altura, comecei a me questionar se foi uma boa ideia ter iniciado essa viagem. Irritado, desliguei o rádio. Tentei ver se o celular tinha sinal, não funcionava. Fiquei com medo. Estava muito escuro, não havia nada por perto. Só estrada, morros, vento e água, muita água.
Quando já estava começando a me desesperar, eis que encontro um posto de gasolina.  Encostei o carro. Entrei dentro da loja e vi que tinha um moço muito agradável lá dentro. Tentei puxar assunto quanto ao temporal, ele me disse que era normal para a época do ano. Que passaria num “instantim”.
Eu perguntei se tinha um lugar onde poderia verificar o problema no carro, ele me recomendou que esperasse a chuva passar e que a 2 km eu poderia encontrar um mecânico e este poderia fazer algum reparo.
Fiquei chateado, pois esses problemas todos me atrasariam na viagem, mas ele me disse que a estrada era muito perigosa, especialmente com chuva, e que o melhor era que eu aguardasse.
Pedi a ele um café com leite e resolvi seguir os conselhos. Esperar até o temporal passar. Nesse momento, posso dizer que minha aflição foi diminuída.
Como ele havia me antecipado, logo a chuva passou. As nuvens se foram e eu pude seguir viagem. Encontrei o lugar onde ele havia me dito, haveria um mecânico. Levei o carro até lá e ele fez o reparo necessário. Levou R$ 380,00 das minhas reservas.
Continuei viagem, e depois de algum tempo, o combustível estava acabando. Parei novamente em um posto e coloquei uma gasolina mais barata. (se arrependimento matasse!)
Sai do posto e depois de 100 km, comecei a notar que o carro estava dando uns trancos quando trocava de marcha. Xinguei o combustível de má qualidade que eu tinha colocado.
Torci para que aquela porcaria acabasse logo para colocar outra no lugar. A essa hora o cansaço estava me tomando e eu tinha que encontrar um lugar para ficar a noite. Já eram 19:00 da noite.
Por volta das 20:00 cheguei a uma cidade que tinha uma pousada e fiquei por lá.
Tomei um banho, jantei, assisti um pouco de televisão, li um livro e fui dormir. Queria continuar a viagem no outro dia cedo.
No outro dia pela manha, logo cedo, tomei rapidamente um café. Abasteci o carro com uma gasolina melhor agora e segui viagem.
Faltavam ainda 600 km para eu chegar ao destino final.
Depois de 400 km, tive que parar para ir ao banheiro, almocei, descansei um pouco depois do almoço. Tentei tirar uma soneca, mas não consegui. A ansiedade já estava me agitando.
Reiniciei minha viagem e para poder chegar ao meu destino, mais uma vez foi necessário abastecer.
Cheguei ao ponto final, onde pude estar com aqueles que amo, estava na Bahia.
Este roteiro foi baseado nas viagens que fiz com meu pai e com meu irmão para a Bahia. Nós costumávamos fazer esse trajeto de ônibus uma vez por ano. Depois viajamos algumas vezes de carro.
Trazendo essa analogia para a nossa caminhada de cristão, e relacionando ela com a citação do Apocalipse. Nota-se que quando começamos a viagem seja para a Bahia, seja para o Céu, estamos muito empolgados.

Isso tudo é notável em seu comportamento. Sua alegria, empolgação. Agradecemos a Deus todos os momentos por tudo. 

Tudo é novo, cheio de alegria, tudo é maravilhoso. O sol brilha, o tempo é ótimo, estamos novos, descansados. Carro abastecido, etc.
Depois de certo tempo, o desanimo começa a nos pegar. Os problemas aparecem. As dificuldades vêm sobre nós, os buracos na estrada, o temporal, a solidão, o medo.
Às vezes temos a impressão que já passamos por tudo e o pior vem de uma maneira mais intensa.
O que nos acontece?
Começamos a pensar bobagens, pensar que estamos errados, que não deveríamos ter iniciado a viagem, pensamos que não foi a decisão mais acertada, que tudo é difícil. Que é perigoso.
Diferente de quando fazemos a viagem de carro, nós nos esquecemos de nos abastecer, de nos levar ao mecânico, de verificar como vai nosso corpo, nossa alma, nosso coração. De parar um pouco quando não podemos prosseguir. Esquecemos que devemos pedir ajuda, que precisamos pedir orientação correta, às vezes nem sabemos onde devemos buscar orientação correta e também não perguntamos.
A caminhada na fé começa como um belo dia de domingo de sol, no qual planejamos uma viagem e tudo começou certo. Aos poucos, as condições de nossa caminhada nos oprimem, nos esmagam. Choramos de frustração. Por vezes nos perdemos do caminho.
Em algum momento, acreditamos que Deus não existe. Tamanho é o temporal e os problemas que se apresentam diante de nós, que por vezes, pensamos em desistir.

Deus não olha para nós como achávamos.

Por isso, gostaria de abordar com você cinco tópicos que podem ser usados durante sua viagem:

- O Espirito Santo;
 - A Oração;
 - A Comunhão;
- A Palavra de Deus; e
- o Louvor.
Tem se feito perceptível que na nossa viagem até Deus, esses cinco elementos escritos acima, são os elementos essenciais para nossa caminhada na fé. A Igreja Católica é riquíssima em símbolos e em relíquias para a fé, bem como em ícones para a fé. De forma que temos muitas vias pelas quais podemos trafegar até chegar a Deus.
Em resumo, eu diria que esses cinco elementos estão presentes na vida de todo cristão que busca à Deus. E cada um desses itens apresenta para nós a possibilidade de nos abastecer em todo momento durante nossa caminhada, eles representam ícones que dentro da analogia de nossa viagem podem ser claramente identificáveis.
É importante lembrar que a historia do povo Judeu é apresentada realisticamente com a viagem feita pelos judeus em destino a Terra prometida. E que provavelmente muitos desses elementos foram vivenciados pelo povo.

O Espírito Santo

O Batismo no Espirito Santo é o inicio de nossa caminhada com Deus. É pelo batismo na água que somos iniciados em nosso caminho com Deus.  Note que, falamos em caminhada com Deus, ou seja, do momento em que iniciamos através do batismo Deus já está conosco a nos conduzir e a nos acompanhar.
Deus já está conosco, pois por meio do Batismo, começamos a participar de sua vida santa e santificante. De toda forma, ainda nos resta continuar o caminho, mirando sempre a meta final que é a comunhão plena e total com Deus.
O Espirito Santo nesse contexto abrange também a ideia do contato inicial, a ignição. Quando poe o carro em movimento.

A Oração

Dentro desta analogia, compreendo que a oração se refere a atenção constante que devemos ter em nosso caminho. Se nos afastamos nossa atenção de Deus, então certamente, perderemos o foco para coisas menos importantes como dinheiro, carreira, fama, sucesso, gravação de CD, ser o primeiro que fez isso, que fez aquilo.
E esse é o risco, pois podemos facilmente substituir Deus por outros itens menos importantes. Todos sabem que um motorista que deixa de prestar atenção e se distrai acaba seguramente envolvido em algum acidente de transito que pode lhe custar a vida. No nosso caso, a oração nos manterá alertas e com os olhos focados em nosso preceito. “Orai e vigiai”...

A Comunhão

A Eucaristia pode entendida dentro deste conceito como o  combustível. Honestamente, não entendo pessoas que desanimam e deixam de frequentar a missa, de comungar ou de buscar a vida de comunidade sob o pretexto do desanimo.
Se entendemos que, desanimamos, sentimos esse desanimo aparentemente em nós, como podemos deixar então de buscar a comunhão com Jesus Cristo e com  nossa comunidade, lembre-se que após se separar da Comunidade (João 21) Pedro se sentiu desanimado, fraco e desorientado, se tornando incapaz de realizar uma tarefa simples para ele como pescar.

A Palavra de Deus

A palavra de Deus pode se interpretada com combustível também. Mas a meu ver a luz do que temos hoje, parece mais com uma bussola, mapa ou GPS (Global Position System). Pois é ela que indica, para onde devemos rumar e como devemos rumar. Lembre-se que é na Biblia que Deus fala conosco e que é a forma mais direta para ouvirmos o desejo de Deus e buscar orientação.

Louvor

O louvor entendido pode ser associado ao ato de louvar a Deus, agradecer. E também uma forma artística de dar graças como com as músicas.
Dentro desses conceitos todos observamos claramente que podemos beber claramente da agua viva e que podemos nos alimentar de Deus. Mas percebe-se que é pelo louvor que podemos no dia a dia.

Todos esses conceitos são muito simples e simbólicos. Pode se perceber que estão intimamente ligados uns aos outros e se interligam conosco e com nossa fé.
Também abrangem claramente a cultura e a devoção aos Santos e Santas, visto que eles podem ser para nós as placas de sinalização que nos indicarão nos piores momentos os caminhos certos a seguir.
Maria, nossa Santa mãe , é exemplo disso. E podemos claramente tê-la como nossa condutora.
Devemos entender que uma analogia sempre é limitada, e ela tem a função simbolizar para nós de maneira concreta um entendimento espiritual e que muitas vezes pode ser complexo.
Por isso, é necessário que se entenda que os cinco itens citados acima são a Essência e o Combustível para sua fé e que está analogia apenas busca lhe apresentar uma forma clara para ver isso.
Como podemos ver, na leitura do Apocalipse:“Vem!”. Possa aquele que ouve dizer também; “Vem!”. Aquele que tem sede, venha! E que o homem de boa vontade receba, gratuitamente, da água da vida!

Jesus é nossa fonte e principal combustível para saciar-nos. 

Reserve um momento para Adorar a Deus!

domingo, 25 de agosto de 2013

Lançamento da Promoção Deus te ama assim!

DEUS TE AMA ASSIM.

A paz de Jesus a todos.



Apresentamos a vocês o lançamento da Promoção DEUS te ama assim.

Rosanna & GuaracyPara que você possa participar basta nos escrever uma frase dizendo porque DEUS te ama assim?


Este mês celebramos com nossos irmãos de comunidade Rosanna & Guaracy o lançamento do CD DEUS te ama assim.

Desta forma, as duas mais inspiradas declarações do amor de Deus que nos forem enviadas por meio de um post neste blog, até o dia 25 de setembro de 2013, receberão do nosso blog um CD de Rosanna & Guaracy e uma bíblia. 
É isso mesmo, tudo o que você tem que fazer é nos enviar através do blog uma frase escrita porque você acredita que Deus te ama assim e já estará participando. 
O CD serão entregues no dia 29 de setembro de 2013, na missa da noite na Comunidade São Vicente.
Para nós é importante sua participação, pois utilizamos sua frase, sentimento, expressão de amor a Deus como forma de evangelização e divulgação do Amor de Deus.



Caso você seja de outra Paroquia, estado ou país, não deixe de participar, enviaremos o CD e a Bíblia para você por meio postal. 

Reserve um momento para Adorar a Deus!

Chrisma da Comunidade São Vicente, um serviço por amor à Igreja.




quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Teologia do Corpo - Christopher West - Parte 3 Final



A Teologia do Corpo - Papa João Paulo II

Christopher West

A procura pelo Amor Perfeito

Estão destinados a participar na eterna comunhão. A eterna comunhão de amor encontrada na Trindade. Sabem daquela dor profunda que sentem no coração, por alguma coisa? Aquele forte desejo que vos compele a fazer tudo o que fazem?
Pelo que você procura? Estão a procura de amor. Do Amor perfeito. E este amor perfeito só é encontrado na Trindade. E este amor perfeito da Trindade foi revelado, foi tornado claro, foi tornado visível. Como?

O Verbo se fez Carne. Os nossos corpos também.

Até antes da Encarnação, os nossos corpos na verdadeira ordem da criação tornam visível o mistério invisível de Deus. Os nossos corpos como machos e fêmeas, revelam esta eterna comunhão de eterno amor e também revelam o nosso destino para tomar parte nessa eterna comunhão de amor. Como é isto?

As escrituras usam muitas imagens para nos ajudar a compreender o amor de Deus por nós. Temos o Pastor e a Ovelha, temos a videira e os ramos, até temos a galinha e os pintinhos, temos a relação filial pai / filho, temos o rei e o seu reino, e no entanto, que imagem usam as escrituras muito mais do que as outras, para nos ajudar a compreender o amor de Deus por nós?
Pode dizer mais alto Padre?

O AMOR NUPCIAL!


A união de homem e mulher numa só carne. Esta imagem é muito mais usada do que as outras, nas Escrituras, para nos ajudar a compreender o amor de Deus por nós.
Pensem nisso: A Biblia começa no Gênesis com a criação do homem e da mulher e no seu chamado para se tornar uma carne.
Pule para o final da historia, para o livro do Apocalipse descreve o céu, como? Como um casamento eterno. O casamento de Adão e Eva no livro do Genesis é preenchido no casamento do novo Adão e da nova Eva: Cristo e sua igreja, no livro do Apocalipse. E o que o Papa nos ajuda a compreender através da Teologia do Corpo é que podemos olhar para estas duas extremidades das Escrituras como uma chave para interpretar tudo o que está no meio.
O plano eterno de Deus, se quiserem, empregando está imagem, é casar conosco.

O profeta Oseias diz ‘desposar-me-ei contigo para sempre.’ De fato, ao longo do Antigo Testamento Deus fala do seu amor, do amor que tem pelo seu povo, como o amor de um noivo pela sua noiva. No Novo Testamento, o amor do Noivo eterno pela sua noiva é literalmente incorporado quando a palavra se fez Carne. E Deus queria que este eterno plano conjugal fosse tão claro para nós, tão obvio para nós, que inscreveu uma imagem dele nos nossos corpos, fazendo-nos como homens e mulheres e chamando-nos a nos tornar uma só carne.

A união dos sexos deve ser, em certo sentido, um sinal sacramental do eterno mistério de Deus, de que o próprio Deus é uma eterna comunhão de amor e de que nós como homens e mulheres estamos destinados a tomar parte nessa comunhão. Aqui, o Santo Padre traz um dramático desenvolvimento do pensamento Católico.

Tradicionalmente, os teólogos diziam: Somos a imagem de Deus como indivíduos, através da nossa alma racional. Isto é certamente verdade. Mas o Santo Padre atreve-se a dar um passo mais longe e diz que ‘nós não apenas somos a imagem de Deus como indivíduos mas também somos a imagem de Deus através da comunhão  de homem e mulher, que Deus criou desde o princípio’. E desta forma, O Santo Padre está dizendo que a própria relação sexual se torna uma imagem ou um ícone, em certo sentido, da vida interior da Trindade.

Mas aqui temos que ser muito cuidadosos, porque Deus em si não é sexuado. Nós usamos o amor sexual só como uma analogia do mistério trinitário. E, tal como qualquer analogia, tal como qualquer realidade humana, a analogia irá em última analise falhar. A Analogia é frágil, Deus permanece transcendente, infinitamente transcendente para qualquer imagem humana ou qualquer linguagem humana. Por isso, é preciso não confundir o que tem sido dito aqui.
Deus não é feito nossa imagem como homens e mulheres. Nós é que fomos feitos à Sua imagem como homens e mulheres. Por isso, apesar de Deus em si não ser sexuado, a nossa sexualidade revela algo no mundo do mistério escondido de Deus. Algo daquela eterna comunhão de amor que dá a vida, que encontramos na Trindade. Mantendo em mente que existe um infinito abismo entre o Criador e a criatura.

Todos estão entendendo este importante ponto? Ok...
Como se diz yes em português? Vamos lá então...sim!

NOSSO DESTINO COMO HOMENS E MULHERES


Mas esta união de homens e mulheres não só revela a eterna comunhão de amor da Trindade como também revela nosso destino para partilhar essa troca de amor na Trindade. E como? Aqui, nós voltamos ao Capitulo 5 da Carta aos Efésios.
Esta é talvez a passagem mais importante das Escrituras para compreender teologicamente o corpo e a relação sexual. São Paulo cita o livro do Genesis e diz: ‘por esta razão o homem deixará o seu pai e sua mãe, e se unirá à sua esposa e os dois formarão uma só carne’. E depois ele acrescenta isso: ‘Isto é um grande mistério!’. Outras traduções dizem: ‘Isto é um grande sacramento!’. Outras traduções dizem: “Isto é uma grande prefiguração!’ de que da União de Cristo com a Igreja. Foi Cristo que deixou o seu Pai no Céu. Foi Cristo que deixou a casa da sua Mãe na terra para entregar o seu corpo à noiva,  para que nós, como ‘noiva’ de Cristo, possamos tornar-nos uma só carne com Ele.

Onde é que nos tornamos uma só carne com o noivo Cristo? ‘Isto é meu corpo entregue por vós.’

Eu nunca conheci meu sogro. Ele morreu quando minha esposa era muito nova.  Mas eu o admiro muito por causa da seguinte história:

No dia depois do casamento dele com minha sogra, eles estavam na missa, num domingo de manha, tendo acabado de consumar o seu casamento na noite anterior. E após ter recebido Nosso Senhor na Eucaristia, o meu sogro estava em puras lagrimas.
E sua esposa disse: Querido, o que é que te aconteceu durante a Missa?
E ele disse: ‘Pela primeira vez em minha vida, percebi o significado destas palavras ‘Isto é meu Corpo entregue por vós’.
Não cometam erros. Quando todas as distorções tiverem desaparecido, quando todas as mentiras tiverem sido rejeitadas, a mais profunda verdade e significado da nossa criação como homens e mulheres e do chamado dos dois para se tornarem uma só carne, o mais profundo significado é a Eucaristia.
A união do homem e da mulher numa só carne, a santa comunhão do homem e da mulher em uma só carne desde o inicio no Genesis deve ser uma prefiguração da Santa Comunhão de Cristo e da Igreja.
Se lembrem dos livros da bíblia, o casamento entre Adão e Eva, é uma prefiguração do casamento de Cristo e da Igreja. É por isto que vocês são homens ou mulheres. Vocês estão destinados a algo muito maior do que esta Terra pode oferecer.


A PREFIGURAÇÃO DO AMOR DIVINO


A união dos sexos tão bonita e maravilhosa como é, é só uma prefiguração de algo muito maior, a união de Cristo e da Igreja. Mas quando perdemos de vista essa união fundamental de Cristo e da Igreja, começamos a adorar a imagem, começamos a adorar a criatura em vez do Criador. E, por isso, como São Paulo diz no Capitulo 1 da Carta aos Romanos, quando isto acontece, quando adoramos a criatura, o corpo humano, em vez daquilo que o corpo nos revela, o divino, então estamos nos entregando à luxuria, a perversão, porque já não compreendemos que a união dos sexos é um mistério sacramental que nos conduz a algo muito maior.
Então o que ocorre é tão mal? Se a união dos sexos deve ser uma prefiguração do Céu, se a união dos sexos deve mostrar-nos a realidade eterna da Trindade, porque é que não vemos deste modo?

Pense por um momento com a mente do Impostor. Se há um inimigo de Deus que quer nos afastar do Céu, e se a união dos sexos deve ser uma prefiguração do Céu, o que é que acham que ele vai atacar? Se quiserem saber o que é mais sagrado neste mundo, tudo o que precisam fazer é olhar para o ato mais violentamente profanado. O diabo não é estupido. Ele ataca precisamente a imagem divina no homem, porque se ele conseguir corrompê-la, nós não iremos perceber nunca mais o que significa ser homem e mulher. E se deixarmos de perceber o que significa ser homem e mulher, somos muito efetivamente cortados do mistério eterno. Porque é nossa criação como homens e mulheres, e o chamamento dos dois para se tornarem uma só carne, que deve revelar ao mundo o mistério eterno escondido de Deus.

A Teologia do Corpo do Papa é um forte chamamento para reclamarmos o que o diabo plagiou. Se houver estudantes aqui, estou certo que sabem o que significa plagiar: pegar algo que não é seu e colocar o seu nome nele. O nome do diabo esta envolvendo todo o sexo, que não é dele e estamos aqui para reclamar o que ele plagiou. É uma ilusão, é uma ilusão pensar que podemos construir a Cultura da Vida, se não reclamarmos o que o diabo plagiou. E se quiserem reclamar isto comigo,  se quiserem reclamar isto com o nosso Santo Padre, preparem-se para uma violenta batalha espiritual.
E não é coincidência que após São Paulo ter explicado o significado da união de uma só carne em Efésios 5, em Efesios Capitulo 6, ele nos chama a tomarmos nossas armas para a batalha espiritual.

E sabem qual é a primeira arma que ele nos diz para tomarmos, para ganharmos esta batalha? Protejam a sua “cintura” com a verdade. Você sabe onde a sua “cintura” está certo? Sim? Suas Genitálias. Nós devemos proteger nossas cinturas, nossas genitálias, com a verdade. Vivemos numa cultura que nos encoraja a proteger-nos com látex. Não, nada de látex. Temos que nos proteger com a verdade. Isto é o que a Teologia do Corpo nos ajuda a fazer.

Na catequese do Papa, ele procura abordar, duas questões humanas fundamentais:

1)     O que significa ser humano?

2)     Como vivo a minha vida de forma a obter a verdadeira felicidade?

Para responder à 1ª questão – o que significa ser humano -, temos que olhar três estágios ou fases do drama humano: a nossa origem, a nossa história e o nosso destino. Onde estivemos, onde estamos agora e para onde nos dirigimos.
Voltando à nossa origem, descobrimos o plano original de Deus para a união dos sexos, quando o homem e a mulher estavam nus e não sentiam vergonha.
A razão pela qual eles estavam nus e não sentiam vergonha é porque viviam a união sexual tal como Deus a criou para ser.  Eles viviam a sua sexualidade de acordo com a imagem de Deus. Amavam-se um ao outro como Cristo nos ama. E qual é o maior mandamento que Jesus nos dá? ‘Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado.’ Eles estavam nus, sem vergonha, porque viviam o perfeito amor de Deus.

Mas sabemos que esta experiência de paraíso não durou muito. Nós herdamos a vergonha, o que demonstra que para nós é um esforço muito difícil amar a imagem de Deus com nossos corpos. Já não vemos o corpo como uma teologia. No entanto, Cristo nos chama através do dom da redenção para superar a luxuria. A luxúria é uma distorção, uma desordem do apetite sexual. E através do dom da redenção há um poder real a fluir da morte e ressurreição de Cristo, para desatar o que o pecado e a luxuria tinham distorcido.

É esta a boa nova com a qual vamos para o mundo. Não vamos para o mundo levantando o dedo ou condenando o mundo pelos seus excessos. Nós vamos para o mundo manifestando o que o mundo verdadeiramente anseia. Porque isto são distorções, isto tornou-se deturpado e a boa nova do Evangelho é que Cristo corrigiu isto e nós podemos viver uma sexualidade redimida. Podemos aprender gradualmente, não de um dia para o outro. Mas progressivamente, aceitando a nossa cruz e seguindo a Cristo, podemos aprender o que significa amar.

E isto não é uma teoria para mim, é uma experiência de vida. Somente pela graça de Deus, posso dizer que vivi e continuo a viver a transformação interior da minha sexualidade. Esta transformação, no entanto, não ficará completa até a ressurreição de nossos corpos, quando formos ressuscitados dos mortos, homens e mulheres, apesar de que Cristo disse já não iremos contrair matrimonio como aqui na Terra. Porque não?

Se lembram dos dois livros da Bíblia (Genesis e Apocalipse)?
O casamento dos novos Adão e Eva – Cristo e a Igreja – está consumado para toda a eternidade. A prefiguração dará lugar à realidade fundamental. Nós estamos destinados a participar nessa união fundamental. Agora podemos compreender a vocação do celibato e do matrimônio.
Aqui o Papa começa a responder àquela questão: Como é que nós vivemos as nossas vidas de forma a obter a verdadeira felicidade? Há duas vocações cristãs fundamentais: Celibato consagrado e Estado Matrimonial.
O Celibatário consagrado não rejeita a sua sexualidade. O celibatário consagrado devota todas as suas energias e desejos de união ao matrimonio que sozinho pode satisfazer.
Lembrem-se dos dois livros da Bíblia. Tão bonita e maravilhosa como é nossa união de homem e mulher, é só um brilho (um glítter), é só uma prefiguração de algo muito maior: a união de Cristo com sua Igreja.
Nós precisamos do testemunho celibatário, mais do que nunca, autenticamente compreendido e autenticamente vivido.
Porque o celibato aponta-nos para esse matrimonio definitivo. Quantos celibatários consagrados temos aqui na palestra? Podem-se levantar o que são consagrados celibatários?
Estes homens e estas mulheres revelam (por favor fiquem em pé, fiquem em pé), estes homens e estas mulheres, estes celibatários consagrados revelam ao resto do mundo e a nós, o propósito fundamental e o significado da nossa sexualidade.
Estamos destinados ao casamento de Cristo com a Igreja. – Obrigado, Obrigado, obrigado. (aplausos)
E agora, nós temos um novo contexto para compreender a união matrimonial. A união matrimonial só faz sentido para os cristãos se for vivida de acordo com o plano original de Deus, em antecipação ao casamento definitivo de Cristo com a Igreja.
Na minha próxima apresentação eu irei abordar em mais detalhe o Capitulo 5 da Carta aos Efésios e o que São Paulo ai quer dizer com a utilização da união do homem e da mulher, como uma analogia para Cristo e a Igreja. Mas muito resumidamente vou dizer o seguinte:
Se a união do homem e da mulher numa só carne deve ser a imagem da União de Cristo com a Igreja, aqui temos um novo contexto para compreender a Humanae Vitae.
Cristo disse: “Eu vim ao mundo para que a minha noiva possa ter vida e tê-la completamente”.

CONCLUSÃO


Teologia do Corpo significa que o mistério de Deus é revelado através dos nossos corpos. Sim, através da nossa fertilidade. O amor de Deus dá vida, o amor de Deus gera, é generoso, e é por isso que Deus nos deu órgãos genitais para podermos ser imagem da sua generosidade, gerando amor. Tornar a união estéril é dizer: eu não quero ser a imagem de Deus. Eu não quero amar a minha esposa como Cristo ama a Igreja.
De acordo com a analogia dos esposos o esposo é a imagem de Cristo e a esposa é a Imagem da Igreja. Por isso, a linguagem da relação sexual por parte do marido tem que ser, como o meu sogro entendeu: ‘Isto é meu corpo entregue por vós.’. A linguagem da relação sexual por parte da esposa tem que ser de acordo com o modelo da Igreja: “Que se faça em mim segundo a vossa palavra.”.
Mas se inserirem a contracepção nesta linguagem, temos uma linguagem muito diferente.
O marido agora diz: “Isto é o meu corpo não entregue a ti.
A Esposa agora diz: “que não se faça em mim segundo a sua palavra.
Isto se torna uma contradição. Um ‘falar contra’ o que é central no mistério divino, que deve ser proclamado e revelado através do corpo. De fato, o Papa vai tão longe que diz que o corpo humano na relação sexual é profético.
O que é um profeta?
Um profeta é aquele que proclama o mistério de Deus. E no entanto, o Papa acrescenta:  “nós devemos ser muito cuidadosos, ao distinguir entre verdadeiros e falsos profetas. Porque se podemos falar a verdade com os nossos corpos, também podemos dizer mentiras com nossos corpos. E se escolhermos mentir com os nossos corpos então estamos contradizendo o valor e o significado da nossa própria humanidade. Criada homem e mulher à imagem e semelhança de Deus.
Este é o novo contexto que o Santo Padre nos apresenta para compreender a Humanae Vitae.

Muito obrigado.

domingo, 18 de agosto de 2013

Teologia do Corpo - Christopher West - Parte 2

A Teologia do Corpo - Papa João Paulo II

Christopher West

A União de Duas Pessoas


Porque a união do homem e mulher em uma só carne é a fonte da riqueza da cultura: ‘É o fundamento mais profundo da ética humana,’ diz o Papa. Eis uma forma mais simples de entender isso:

Qual é a célula fundamental da sociedade? A família!
Mas qual é a origem da família? Como vai a família, assim vai o mundo, mas o que estabelece a família na verdade?
Qual é o fundamento da família? O que é que permite a um homem e uma mulher tornarem-se uma família? A união dos dois numa só carne. De acordo com a concepção gloriosa, própria de Deus, Este é o fundamento da família. A união do homem e da mulher em uma só carne.

Como vai a relação sexual, assim vai o casamento. Como vai o casamento assim vai a família, como a família vai, assim vai o mundo.

É por isso que nosso Santo Padre disse na grande encíclica Evangelho da Vida, e cito: ‘É uma ilusão pensar que se pode construir uma verdadeira cultura da vida humana, se não aceitarmos e vivermos a sexualidade, o amor e a existência inteira, de acordo com seu significado verdadeiro e a sua íntima correlação’. Isto está no Evangelium Vitae número 97.

Deixe-me ler isso mais uma vez. ‘É uma ilusão’ diz o Santo Padre ‘pensar que se pode construir uma verdadeira cultura de vida humana se não aceitarmos e vivermos a sexualidade, amor e a existência inteira, de acordo com o seu verdadeiro significado e a sua intima correlação’.

As questões de sexualidade, como tenho tentado demonstrar, estão intimamente relacionadas com as perguntas fundamentais que fazemos acerca do significado da nossa existência.  

A Palavra SEXO


 - Porque que é que eu existo?
 - Como devo viver a minha vida de maneira a obter a verdadeira felicidade?
 - O que significa ser humano?
 - Qual é o meu destino final e como o alcanço?
 - Porque é que há mal no mundo e como o evito?

Como aprendemos na Teologia do Corpo do Papa, estás questões estão intimamente ligadas com a forma como vemos e vivemos a nossa sexualidade. E, no entanto, em nossa cultura, certamente, nos EUA e eu imagino que a cultura europeia e a portuguesa sejam similares – a palavra sexo tem que ser redimida em nosso pensamento.
Ela tem sido tão corrompida, tão abusada!
Em primeiro lugar, quando digo a palavra ‘sexo’, não estou me referindo acima de tudo ao que pode acontecer atrás das portas fechadas, num quarto. O sexo, eu gostaria de sublinhar, não é um verbo, é um substantivo. É quem nosso somos.
Homens ou mulheres!
Por isso, quando fazemos a pergunta acerca do significado do sexo, estamos a fazer a pergunta acerca do significado da nossa criação como homem e mulher.
Isto é o que a Teologia do Corpo procura abordar: porque é que Deus nos fez homens e mulheres e porque é que chamou os dois para se tornarem uma carne?
Vamos definir esta expressão: Teologia do Corpo.

Teologia, é claro, é o estudo de Deus. Mas uma teologia do corpo?
Porque é que o Santo Padre se refere ao corpo humano, esta coisa carnal que se não lavarmos muito bem, no fim do dia vai cheirar mal, como é que está realidade terrena pode ser uma realidade teológica? Um estudo do divino?

Como cristãos, estamos habituados a uma ênfase no espiritual. Mas muitos de nós não se sente a vontade com a ênfase no corpo. Para o Papa João Paulo II esta é uma falsa dicotomia. Como o Catecismo da Igreja Católica diz, no nº 1146, ‘sendo ao mesmo tempo corpo e espírito, o homem expressa e compreende a realidade espiritual através de físicos sinais e símbolos. A única maneira de nós, como seres humanos, de certa forma podermos encontrar a realidade espiritual é através de nossos sentidos. Através de nossos corpos.

O catolicismo é uma religião muito sensitiva e com isto quero dizer vivemos a realidade do espírito através de nossos sentidos. Lavando o corpo com água, ungindo o corpo com óleo, impondo as mãos, comendo e bebendo o corpo e sangue de Jesus Cristo. E é através dessa união, através da qual homem e mulher juntam suas vidas tão intimamente unidas, que se tornam uma só carne.

Estas são as realidades sacramentais, onde encontramos a realidade espiritual através de sinais e símbolos materiais. E o nosso Papa diz que o corpo humano, em certo sentido, é ele próprio um sacramento. E aqui, é claro, não dizemos sacramento no sentido estrito, não nos referimos aos sete sacramentos, mas trata-se de um sacramento com um ‘s’ minúsculo, podemos dizer. Trata-se de regenerar uma visão uma visão mais ampla, mais antiga do termo sacramento, que significa tornar visível o invisível.

A Importância do Corpo


Não podemos ver Deus, correto?!
Ele é invisível. Deus é puro espirito!
E, no entanto, o cristianismo é a religião do Deus invisível se fazendo visível, do Deus intocável fazendo-se tangível, do Deus incomunicável comunicando-se com criaturas inferiores.

Como é que o invisível se torna visível?
Como é que o intocável se torna tocável?
Como é que o incomunicável se comunica?
O verbo foi feito Carne! De novo, o Verbo foi feito Carne.
O invisível se tornou visível através da Carne de nosso Deus.
O intocável é agora tangível através da Carne de nosso Deus.
O incomunicável está agora a comunicar para nós através da Carne do nosso Deus: ‘Isto é meu Corpo entregue por vós.’
Não deveria parecer estranho falar de uma Teologia do Corpo, se acreditássemos na Encarnação.
Como o Santo Padre disse: ‘pelo fato de a palavra de Deus ter se tornado carne, o corpo entrou na teologia pela porta principal.’ Teologia do Corpo.

Deus revelando o Seu mistério através da carne humana.
É esta a verdadeira lógica do cristianismo. Não é só um obscuro ensinamento do Santo Padre. Isto leva-nos exatamente ao âmago do mistério cristão.
Nós acreditamos num Deus encarnado.


Agora vou ler para vocês a declaração de Tese do Santo Padre da sua teologia do Corpo.

Se eu quisesse resumir as 129 audiências era aqui que chegaríamos. O Santo Padre diz que ‘o corpo e apenas o corpo é capaz de tornar visível o que é invisível, o espiritual e o divino. Foi criado para transferir para a realidade visível do mundo o mistério escondido desde os tempos imemoriais em Deus e assim ser um sinal desse mistério’.

Vou repetir:
O Corpo, e apenas o corpo’ – diz o Santo Padre – ‘é capaz de tornar visível o que é invisível, o espiritual e o divino.’ Vamos para por aqui por um momento.

Nós, como seres humanos, somos espirituais, mas não somos meramente espirituais. Somos uma combinação do espiritual e do material. Há uma profunda unidade na pessoa humana entre corpo e alma. Como é que vocês sabem que o mistério espiritual de Christopher West está aqui diante de vocês?

Vocês veem meu espirito?

Mas vocês veem meu corpo que torna visível para vocês o mistério invisível do meu espírito. Tal como o vosso corpo para mim. E, no entanto, porque somos homens e mulheres, somos feitos à imagem e semelhança de Deus. O Corpo humano também torna visível algo do mistério invisível da verdadeira divindade de Deus.
Ele faz visível o espiritual e o divino. Por conseguinte, continuando o Papa diz: ‘o corpo foi criado para transferir para a realidade visível do mundo o mistério escondido desde tempos imemoriais em Deus e, assim, o corpo torna-se um sinal deste mistério divino.’
Agora, qual é o mistério de Deus desde os tempos imemoriais? Isto é uma expressão de São Paulo – que o Santo Padre cita – na carta aos Efésios em que fala do mistério escondido há séculos em Deus, que se tornou agora visível.

O que é o mistério há séculos escondido em Deus, que se tornou agora visível?

O Catecismo explica bem, no nº 221. Nos lemos lá que ‘Deus tem revelado o seu mais intimo segredo.’ Vocês deveriam estar desorientados agora. Deus tem revelado o seu mais intimo segredo.
O que é? O que é o mais íntimo segredo de Deus? Está é a chave para compreender o universo!
O mais íntimo segredo de Deus é que ‘o próprio Deus é uma eterna comunhão de amor, Pai, Filho e Espirito Santo. E Ele tem nos destinado a nós, a tomar parte desta Comunhão’.
A verdadeira razão por que vocês foram criados, a verdadeira razão porque existem é porque estão destinados à comunhão.
Vocês podem também dizer isso: Estão destinados ao amor!


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Teologia do Corpo - Christopher West - Parte 1

A Teologia do Corpo - Papa João Paulo II

Christopher West
 
Dou as boas vindas ao nosso orador de hoje, Christopher West, é certamente, no mundo, a pessoa que mais tem divulgado a Teologia do Corpo do Papa João Paulo II. De modo muito acessível.

Ele é teólogo da Diocese de Denver, é casado, tem três filhos. Tem uma experiência notável que por ventura abordará em sua palestra. Uma experiência de vida. Andou por caminhos bem afastados da Igreja, da Doutrina da Igreja sobre a sexualidade e ao encontrar Deus e ao encontrar Deus e ao encontrar a Teologia do Corpo do Papa João Paulo II, tudo isso mudou. Eu tenho lido suas obras, e de uma maneira especial "A Teologia do Corpo Explicada" é um livro notável em que escalpuliza o esquete caso do Papa João Paulo II; Um outro mais pequeno mas muito importante tambem pros casais "Good news about sexy and marriage" (Boas Notícias sobre sexo e Casamento), tem tambem em gravações "Naked without shame" e em cd and crashcors of Theology of the Body is like that. é certamente uma honra e um prazer tê-lo aqui. e vamos então passar a ouvi-lo.

- Christopher...

- Bom-dia!
Não tenho a menor ideia do que ele acabou de dizer. Eu espero que tenha sido bom.

É uma alegria para mim estar em Portugal, partilhando com vocês está bela visão de João Paulo II, conhecida como Teologia do Corpo. E a vossa pátria Portugal, é mais importante para esta mensagem do que vocês possam imaginar.
Amanhã estarei como peregrino a caminho de Fátima e eu estou muito entusiasmado para ir até lá por conta da ligação entre Fátima e a Teologia do Corpo do Papa.

Nossa Senhora de Fátima
Eu estou certo de que como bons Portugueses Católicos vocês conhecem bem a mensagem de Fátima. Em resumo, que a Rússia iria espalhar inúmeros erros ao redor do mundo se os homens e as mulheres não se arrependessem e corrigissem. E um dos maiores erros que o comunismo espalhou ao redor do mundo foi a destruição da família. 
Também há profecias, através dos videntes de Fátima, de que um dia viria um Papa que seria o instrumento para desfazer os danos provocados pela Rússia. Temos todas as razões para acreditar que se trata do Papa João Paulo II.

O primeiro projeto de catequese do pontificado de João Paulo II era mostrar-nos esta Teologia do Corpo. Trata-se de uma série de 129 audiências de quarta-feira que ele proferiu entre Setembro de 1979 e Novembro de 1984. Em 13 de maio de 1981, no meio de sua série de quarta-feira, Festa de Nossa Senhora de Fátima, ele foi alvejado na Praça de São Pedro. A caminho - presumimos - de proferir mais uma de suas palestras que iriam constituir a Teologia do Corpo. E, mais significativamente, naquele dia de 13 de maio de 1981, o Santo Padre ia anunciar a fundação do Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimonio e Família; o qual, em certo sentido, é o único responsável pela divulgação da Teologia do corpo pelo mundo. Houve forças em movimento - eu diria - que não queriam que aquele Instituto existisse.
Não queriam que essa Teologia do Corpo fosse divulgada pelo mundo.

Quando o Santo Padre recuperou dos ferimentos de bala, ele subsequentemente devotou e dedicou o Instituto João Paulo II à proteção de Nossa Senhora de Fátima. Por isso, eu diria que Nossa Senhora de Fatima está intimamente envolvida – eu diria – na divulgação desta Teologia do Corpo pelo mundo, como um antídoto para os erros que se espalharam pelo mundo e que trouxeram a destruição da família.

Está manha, a minha primeira apresentação, é uma introdução à Teologia do Corpo, como um novo contexto para compreender a encíclica Humanae Vitae.

Há alguns anos atrás, um Cardeal europeu, surpreendeu muitas pessoas quando sugeriu que o ensinamento da Igreja sobre a contracepção estava muito em baixo em uma lista de prioridades das questões a discutir no mundo moderno. Comparem essa declaração com o que o Cardeal Karol Woityla disse justamente dois meses antes de se tornar papa em 1978, por ocasião do 10º aniversário da Humanae Vitae.

Ele disse que os ensinamentos contidos na Humanae Vitae são uma luta pelo valor e significado da própria humanidade. Reparem no titulo da encíclica. Não é chamada a ‘encíclica do controle de natalidade’, como a mídia queria que pensássemos, mas é chamada ‘Da Vida Humana’, porque esse documento é uma reflexão sobre o significado da vida humana.

Pense como estão entrelaçadas a união conjugal e a relação sexual com a existência e a realidade da vida humana.

Por favor, levante seu dedo quem existiria sem uma união sexual.
As questões de moralidade sexual vão mais fundo do que geralmente se pensa. Tocam na autentica realidade do significado da existência humana.
Não só vocês são resultado da união sexual dos vossos pais, mas voltem atrás qualquer numero de gerações 100, 200 ou 300 gerações, escolha qualquer numero e remova uma união sexual na sua arvore genealógica e vocês não existiriam.
Nem ninguém que descende dessa geração da arvore genealógica. O mundo seria um lugar diferente.
Eu dou-me ao luxo de ganhar a vida a falar de sexualidade, a pensar sobre sexualidade, a escrever sobre sexualidade, por isso há coisas estranhas que despertam em mim nas horas da noite em que não consigo dormir. Cheguei a conclusão que a história humana é literalmente determinada por quem faz sexo com quem.

Vocês estão me acompanhando?
Isto não é apenas uma verdade biológica, esta verdade biológica tem profundas implicações teológicas.
Deus foi quem nos criou assim. E tão eficazmente, voltem atrás na sua própria linhagem 100, 200, 300 gerações – escolham qualquer número – e insiram uma união 'contraceptada' na sua arvore genealógica e vocês não existiriam, nem ninguém que descende daquele ponto em diante da arvore.
O mundo seria um lugar diferente, a Historia seria diferente.
É por isso que João Paulo II disse que o ensinamento contido na Humanae Vitae é uma luta pelo valor e significado da própria humanidade.
É por isso que ele disse em seu livro ‘Amor e Responsabilidade’ que a confusão a respeito da moralidade sexual envolve um perigo maior do que geralmente se pensa.
O perigo de confundir os principais caminhos da existência humana.
O objetivo de João Paulo II no seu pontificado é ajudar a Igreja e o mundo a construir uma cultura ‘da vida humana’, Humanae Vitae.

No entanto, ele sabe que se quisermos sair dessa cultura de morte e construir uma cultura de vida, não há nenhum ponto de partida mais verdadeiro do que a restauração do plano de Deus da união do homem e da mulher numa só carne.

Continua...




terça-feira, 13 de agosto de 2013

BENDITO SEJA. TE AGRADECEMOS!


Bendito Seja!







Retiro de Crisma da Paróquia São Vicente de Paulo e São Tiago Apostolo



A realização do retiro para receber o sacramento da Confirmação esse ano foi muito especial para todos nós. Esta foi, talvez, a versão mais informatizada do retiro, pois fizemos uso de todos os meios digitais disponíveis para a organização e preparo de muitas atividades, contudo podemos assegurar que certamente esta foi a versão mais espiritual, iniciada já com a Visita do Santo Padre, aprofundada em nossas Paróquias pelas experiências maravilhosas que o Espirito Santo nos proporcional.
 Utilizamos o youtube para ouvir as canções e emprega-las no retiro; preparamos-nos espiritualmente ouvindo outros palestrantes na internet; utilizamos a bíblia on-line para preparar as palestras; buscamos na internet as cifras para musicas; enviamos mensagens de texto para o nosso pároco para que ele pudesse ir a celebração; o facebook para divulgar a informação; e muitas outras mensagens enviadas para alinhar, agendar horário, conversar etc, etc.
Este retiro fica para nós como um marco profundo em nossa espiritualidade. Para alguns o retiro representa o fim de um tempo e inicio de algo novo mais intenso e especial, para outros ele representa a abertura dos olhos para um mundo maravilhoso de alegria saudável e limpa. No centro de tudo se encontra o mesmo objetivo comum: Jesus Cristo!
É com grande alegria que passamos por esse dia, apesar de todas as dificuldades, apesar das dores enfrentadas podemos dizer Ainda assim estamos de Pé. Foi um dia muito rico, cheio de reflexões, louvores, orações e adoração, mas sobre tudo, foi um dia cheio de Deus, cheio do Espirito Santo. Foi um dia iniciado na presença de Jesus Eucaristico e continuado em seu todo sobre o Espirito Santo.
Ouvimos que Devemos Servir a Deus com Alegria e que nossa família é o cerne de nossa vida. É por meio de nossa família que podemos existir e agir no mundo, e sem nossa família como referencia estaríamos a vagar por um mundo arisco a nossa natureza.
Pudemos ver, por meio de uma representação artística que nos fez chorar, como o mundo é cruel para nos roubar, enganar e matar, mas que Deus é forte e poderoso para nos proteger apenas devemos nos achegar a Ele.
Por fim, o Espirito Santo veio e pôde nos cobrir em suas asas, derramar um mel de unção sobre nossos corações, cobrir os buracos e frestas abertas pelas feridas e cicatrizes do mundo, nos restaurar e ainda nos dizer na forma de brisa leve: “Aquietai vossos corações e deixem as portas abertas que eu quero entrar”.
Agora, renovados, curados, alimentados pela fé e fortes podemos dizer Bendito Seja, somos eleitos, somos Teus! Pertencemos a Ti e poder da Tua palavra nos resgatou. Hoje, somos felizes. Agora podemos dizer nosso sim a Deus e entrar definitivamente para o Exercito de Deus, pois grandes batalhas nos aguardam pela frente.
Fortalecidos, devemos embraçar o escudo da fé, a armadura de Deus, lutar contra o inimigo de Deus e ter certeza de que com Jesus somos + que vencedores.
E lembre-se por meio deste sacramento que vocês estão prestes a receber, o Espirito Santo lhes concederá uma unção especial, o PODER para lutar e vencer por meio da fé em Jesus Cristo.

Bendito Seja Jesus somos Eleitos, somos Teus...


Agradecimentos Especiais
 - A Deus sobre todas as coisas;

- Danilo Gomes pelo saboroso café da manhã que nos foi proporcionado;

 - Ao Ministério de Musica da Comunidade São Lucas que mais uma vez contribuiu para o bom andamento de nosso encontro;

 - Aos Catequistas que se dedicaram para organizar tudo e contribuiram com a doação para o almoço;

 - A Equipe da Cozinha que preparou um delicioso almoço e café da tarde;

 -  A Equipe que organizou teatro: Marcela, Nenem, Mayara, Eduardo, Vanusia, Igor Acolito... sem palavras...

 -  Ao Leive e a Paulinha por sua participação com as palestras. Tambem agradecemos em Especial a familia da Paulinha que pode estar presente...









RESERVE UM MOMENTO PARA ADORAR A DEUS!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...